EDIÇÃO IMPRESSA ATUAL - Nº 90-OUTUBRO DE 2007
Clouse Marinho



Ciao Nossa Escola
[16/08/2006- Matéria da Edição :78 - Junho de 2006 ]
Quem parte deixa a sua parte
e dos que ficam leva partes

Luigi deixa em sua cidade natal
a primeira infância

Leva as boas lembranças
de anos felizes, de raros momentos
o despertar pelas letras,
entre os mais belos

Deixa a Nossa Escola,
os coleguinhas, as tias, as histórias
e a doce poesia de Tia Aglacy

Mas é assim, a vida chama
e muda o norte
Aos que ficam, boa sorte!

Vão embora o Dom Quixote
Sancho Pança e tantos mais
Na eterna dança de ser criança
vai Luigi, ser feliz em outro cais.

(Aracaju, 19/06/2006)


Conversa de porta

Fiquei imensamente feliz por, de forma tão criativa, lúdica e verdadeiramente gostosa, vocês da Nossa Escola (Aglacy, Edmê e toda a equipe) transformarem o que poderia ser um mero contexto histórico e cultural em arte. Esse comentário pode ser verificado quando - com carinho, atenção e amor - observamos os textos elaborados por vocês; as atividades com as crianças, nos encontros família-escola e principalmente ao acompanharmos o projeto pedagógico que, proposto inicialmente, vai, ao longo do ano, transformando-se na história de vida de nossos filhos através de uma aprendizagem leve e recheada de poesia.

Clotildes (mãe de Lucas Kauã - Jardim I)


Saber passa pela leitura e por muita leitura

Há momentos em que temos que ser mais críticos, severos até, com a garotada. Vai aí um puxão de orelha. Há algum tempo, ouvimos de uns alunos que, no "Orkut", uma jovem elogiava a sua escola, mas acrescentava: “ela precisa melhorar a sua metodologia; não gosto de ficar trabalhando historinhas”. Triste, não? ouvir isso de um jovem, já que as historinhas a que se refere são obras de literatura clássica e as mais modernas obras do Brasil e do mundo.