EDIÇÃO IMPRESSA ATUAL - Nº 90-OUTUBRO DE 2007



100 Shakespeare
[26/06/2007- Matéria da Edição :87-Junho de 2007 ]
TEATRO! Pronto, tomei gosto! E, pelo jeito, alguns dos meus alunos também. Da última vez que saímos juntos pra assistir à peça da Stultífera Navis no Atheneu, reparamos num cartaz afixado no hall do teatro anunciando o espetáculo 100 Shakespeare, da companhia teatral Pia Fraus (esse pessoal capricha nos nomes...). Não precisou nem falar, toooodo mundo sabia que eu assistiria! Shakespeare é o maior de todos, sou fã! Pois no dia 01 de junho, estávamos lá no teatro Lourival Baptista - uma gracinha, reformado, climatizado - eu, Lua, Bruno, Luiza, Liana e Izadora Cristino.
Palco escuro, não tínhamos idéia do que veríamos. Chegamos tão em cima da hora que nem lemos o folder que entregaram na entrada. De repente, luzes, corpos, baús, bonecos. Palavras soltas, música, ruídos. Quase sem palavras. Mais de 100 palavras. Trechos das peças de Shakespeare desfilando aos nossos olhos, trazidas por bonecos de todos os tipos e tamanhos, manipulados por quatro atores fantásticos, em performances de tirar o fôlego. Os bonecos contracenavam entre si, com os atores, com o público. As luzes... pareciam mágica, uma técnica especial difícil de descrever.
O final chegou rápido, infelizmente. Mal saímos, comentávamos uns com os outros o que tínhamos visto. Quis explicar algumas passagens, relacioná-las com as peças representadas (nove!), que iam e vinham sem aviso. Mas, não para a minha surpresa, meus admiráveis alunos foram capazes de identificar a maioria delas. Quantos jovens entre 12 e 15 anos conhecem obras como Macbeth e Rei Lear? Quantos se interessariam em buscar conhecer peças desconhecidas como O Mercador de Veneza e Titus Andronicus? Sinceramente, poucos. Eles adquiriram, ao longo dos anos, um conhecimento que muitos estudantes universitários da área nem sequer buscam. E a "tia" aqui, orgulhosa...
No final, nem lembrei de tirar foto da gente. Da peça não dava, a iluminação era parte do espetáculo e o flash estragaria o jogo de claro e escuro. E, do lado de fora, a gente se empolgou na conversa...
Bruno me perguntou, semana passada: "Nena, qual vai ser a próxima peça a que a gente vai assistir?" Pense na satisfação! Tô me informando, Bruno. Tô me informando...
Post Scriptum: Roteiro de inspiração para o espetáculo: Hamlet, O mercador de Veneza, Romeu e Julieta, Macbeth, Othelo, Sonho de uma Noite de Verão, Rei Lear, Ricardo III e Titus Andrônicus. Fraquinho, hein? (Risos)
por Joelba Geane (Nena)