EDIÇÃO IMPRESSA ATUAL - Nº 90-OUTUBRO DE 2007



A DAMA NA ÁGUA ("The lady in the water")
[28/02/2007- Matéria da Edição :83 - Janeiro 2007 ]
DIREÇÃO: M. Night Shyamalan
ELENCO: Paul Giamatti * Bryce Dallas Howard * M. Night Shyamalan * Jeffrey Wright
NOTA: Brilhante

A TRAMA
Cleeveland Heep (Paul Giamatti) é o humilde e solitário zelador do hotel "The Cove". Sua rotina se resume a resolver os pequenos problemas domésticos dos inquilinos e estudar à noite, com livros emprestados de uma hóspede sua amiga, a falante Young Soon. Numa noite, estudando em seu pequeno apartamento de zelador, ele percebe que há alguém nadando na piscina do hotel. Depois de quase morrer afogado tentando um resgate, Heep acolhe a moça que estava na água, Story (Bryce Dallas Howard), em seu modesto lar, para levá-la de volta a sua casa, no dia seguinte. Mas Story não é uma pessoa comum (nem é uma pessoa). Ela é uma narf, uma ninfa marinha que veio à superfície para cumprir uma importante missão, cujo resultado decidirá o futuro de seu mundo e do nosso. Caberá a Cleeveland protegê-la.

A SENTENÇA
Este é um daqueles filmes em que você só percebe completamente o seu significado alguns minutos depois de assistir. Não se surpreendam se isso acontecer (porque vai); afinal, há muito para se absorver num filme só. Seja pela história, que a princípio parece uma fábula, mas se revela cheia de suspense e reviravoltas; seja pelas primorosas cenas ora belas, ora assustadoras; pelas grandes atuações e personagens complexos e interessantes; ou mesmo pela maestria do diretor, que conduz a história, uma fábula, de maneira tão crível. Alguma dessas coisas (ou todas elas juntas) nos distraem de uma das maiores qualidades do filme, que é o significado.
Comecemos pelo personagem principal, Cleeveland Heep, interpretado competentemente por Paul Giamatti.Heep. Ele é um homem comum, cuja vida perdeu o rumo com a morte da sua família. Sua vida ganha um novo significado com a chegada de Story, quando ele decide acreditar nela e protegê-la. Trata-se de sua busca por redenção, de acertar as contas com o seu passado. A própria Story é cheia de medos e incertezas: "Eu sou considerada tola e desastrada entre as outras narfs.Tenho medo de ser o que devo ser", confessa ela, temendo não conseguir completar sua missão. E dentre os hóspedes, todos de grande importância na história, todos têm suas qualidades, fraquezas, defeitos e medos. M. Night Shyamalan, o diretor, mostra primeiro os personagens como eles aparentam ser e, depois de terem contato com Story, como eles realmente são (mesmo que alguns deles apareçam pouco). O ponto de partida do filme é a possibilidade de algo fantástico acontecer com pessoas comuns e como isso as afetaria (E isso está presente em todos os seus filmes, como "O Sexto Sentido" e "Corpo Fechado"). Um a um, os personagens são impelidos a acreditar no impossível, cada um por suas próprias razões. É por esses e outros motivos que "A Dama na Água" é um filme para ser visto e admirado.
por Victor Cardozo