EDIÇÃO IMPRESSA ATUAL - Nº 90-OUTUBRO DE 2007



Fofocas da Noca
[09/06/2007- Matéria da Edição :88-julho de 2007 ]
Namorar é bom, mas tem mãe que atrapaaalha...
Coisa chata, não é? Ela vai e diz a sua mãe, numa boa: Luiz quer "ficar" comigo. Daí em diante, nunca mais a mãe a deixa ir à casa da prima, vizinha do tal Luiz.
O argumento da mãe? "Oh filha, sua tia não pode olhar vocês. Trabalha durante todo o dia. Vocês ficam muito só. A empregada da casa não pode com tantos."
Detalhe: "Antes podia". E a minha mãe se diz muito liberal...
Quanto a minha opinião, não gosto muito de falar, ou melhor, gosto sim, o que eu não gosto é de emitir juízo de valores... A garotada vai que não gosta que eu emita e boicota a minha coluna... e eu perco o emprego. Mas eu acho, aqui, bem entre nós: mãe é pra ficar de olho mesmo... Ah, isso é. Quanto aos exageros... Só conversando. Em família.

Homem-folha

Homem-folha?! Seria algum novo herói? Digamos que sim, diante da atual polêmica sobre alimentação dos filhos, quanto às opções poucos saudáveis que eles fazem apesar das conseqüências para a saúde da meninada... ou seria para a turma mimada?
Esse aluno da foto, com o seu prato, nunca se serve de arroz, feijão, lasanha ou... sem antes comer uma grande e bela salada.
Mas belo e grande também é o modo como as garotas o vêem. Confira a elegância do rapaz, sem um pneuzinho... com um sorriso lindo e pele de fazer inveja.
Claro que a genética sempre ajuda, mas a alimentação, garotos e garotas, exerce grandes influências no visual e não deixa ninguém verde.
Concorrência dura

Os vestibulandos que se cuidem porque a concorrência endureceu. Diz Ana Luiza (2º. ano) que ela não é de fofoca, mas de foco. Ela está absolutamente focada nos estudos. O resultado disso só pode dar em sucesso, né fofa?

Menina poderosa

Os professores tentaram, a mãe tentou, o pai insistiu - até brigou - para que o garoto levasse a sério os seus estudos. Ele só perdendo tempo e caindo em nota.
Mas vejam o que faz o amor: "mexe com a minha cabeça e me deixa assim". Foi o amor por uma garota estilo sucesso- total-na-OBI-por-esforço-e-talento que fez o que
ninguém conseguira fazer: colocar o menininho nos livros. Abertos sobre a mesa e ele bem decidido a estudar.
Isso até inspirou um novo ditado popular: atrás de um estudante de sucesso, tem sempre uma estudante de mais sucesso ainda.

Flagrante junino

No São João, a alegria se distribui democraticamente. Divertem-se as crianças, os adultos e as vovós.
Vejam só "que coisa mais linda, mais cheia de graça". Não perdi o flash.

É ela

Da Europa para a Nossa Escola - sábia dourada: "áurea Silena": Cilene. "Divertida, só que, ao mesmo tempo, ela puxa, é durona e deixa a gente na linha" (Arthur Dória). Ela "não tem marido, não tem filhos, não tem namorado". Só na Inglaterra, um hindu, por quem, todavia, ela espera aqui, no Brasil.
"Maravilhoso! Ela vai gastar todo o seu tempo precioso corrigindo os diários até que todos se esgoelem e aprendam a escrever bem". (Amanda e Sara com h - Sarah).

Emas e emos

Emas são aves, os "emos" não são masculinos de emas; são seres que atacam e choram, colocam o cabelo de lado e choram, escutam "green-day" e choram mais ainda, sentam na porta do shopping e choram, contam sobre as suas vidas insignificantes ou não e choram outra vez - vai saber por quê. Nunca se revelam como "emos". Por isso, também choram.
Se você quiser ser ecológico, não mate as emas, mas, quantos aos emos, estamos em temporada de caça.
Não, não!!!! Não chorem, emos. Chiiiiii... é brincadeirinha...

Quem ama quem?

Amando o Gustavo? Troque uma vogal pela outra que assim teremos, então, um segredo revelado. Por sua melhor amiga.

Aniversário de Léo

Léo fez 15 anos, e nós fomos presenteados com um segredo. Aquele que se revela na hora do "com quem será". Não vamos contar tudo aqui, não, porque gostamos de ser discretos e evitar confusão.
Mas há uma pergunta que não quer calar: Como será, para um aluno como Esquivel (santinho de dar dó), ter a mesma pessoa como sogra e coordenadora assim, simultaneamente?

No 8º. ano, kit completo

Fernanda (9º. ano) cruzou, no corredor da escola, com André Dória (8º. ano). Olhou bem para os seus olhos e surpreendeu-se com algo que, em muitos anos de convivência na Nossa Escola, não havia percebido:
- Dória, você tem os olhos lindos, sabia?
André, cuja modéstia nunca foi seu forte:
- Os meus olhos, Fernanda? - deslizou as mãos do alto da cabeça até os pés - Lindo aqui você encontra o kit inteiro.

Coisas de Aglacy

Louca por gramática

Uma pessoa, ao telefone, diz: - Aglacy, o pessoal prefere livros para pesquisar. Eles dizem que, na internet, encontram problemas com a legitimidade dos conceitos.
- Eles quem? Eu não estou entendendo. Os livros?
- O pessoal, Aglacy.
- Isso não faz sentido - ela se exaspera, porque não pode mesmo entender aquilo. - Sim, faz. Os professores não querem pesquisar tanto na internet. Eu me reuni com todos.
- Ocorre que o pronome “eles”, em sua frase, refere-se aos livros. Se estivesse referindo-se ao pessoal, seria “ele” prefere e “ele” encontra muitos problemas.
- Nesse caso, Aglacy, opto por estudar um pouco mais de gramática. Depois eu retorno, tá? Aí nós resolvemos sobre as opções: pesquisa em livro ou em internet.