EDIÇÃO IMPRESSA ATUAL - Nº 90-OUTUBRO DE 2007



Teatro - inspiração para todas as artes
[29/01/2007- Matéria da Edição :82 - nov_dez 2006 ]
CLIQUE AQUI PARA VER AS FOTOS DA APRESENTAÇÃO.

LUCIANO GÓIS
Um breve histórico:

No Brasil, o teatro tem sua origem com as representações de catequização dos índios. As peças eram escritas com intenções didáticas, procurando sempre encontrar meios de traduzir a crença cristã para a cultura indígena. Uma origem do teatro no Brasil se deveu à Companhia de Jesus, ordem que se encarregou da expansão da crença pelos países colonizados. Os autores do teatro nesse período foram o Padre José de Anchieta e o Padre Antônio Vieira. As representações eram realizadas com grande carga dramática e com alguns efeitos cênicos, para a maior efetividade da lição de religiosidade que as representações cênicas procuravam inculcar nas mentes aborígines.
Teatro e arte dramática, gênero literário, em prosa ou em verso, usualmente em forma de diálogo, concebido para ser representado. As artes cênicas abrangem tudo que se refere à escritura da obra teatral: a interpretação, os figurinos e cenários, a produção. Em geral se entende como drama uma história que narra os acontecimentos vitais de uma série de personagens.
Karl Groos apresenta uma visão muito interessante sobre a função das brincadeiras na infância e na adolescência. Ele diz que "agora percebemos que a infância e a juventude existem a serviço da brincadeira". De acordo com ele, nós não brincamos porque somos seres lúdicos, mas porque somente dessa maneira podemos complementar nossa "insuficiente dotação hereditária com a experiência individual para enfrentar as tarefas da vida que estão por vir". Então, existe algo mais sério na vida de uma criança do que a brincadeira?
Nosso teatro, através das oficinas, nos traz esse jogo para que as crianças possam, brincando, construir seu pensamento no mundo.
Como conclusão do trabalho desenvolvido neste ano de 2006, a Oficina de Teatro apresentou a peça “Lisbela e o Prisioneiro”, no dia 01 de dezembro.
Os atores mostraram ao seu público - familiares , colegas e professores - um pouco do que adquiriram durante todo o exercício nas oficinas.
Todos assistiram a muitos exemplos de concentração, de desenvoltura e superação da timidez, num texto escolhido pelo grupo desde 2005.

Teatro na Nossa Escola:
Há três anos, no desenvolvimento das oficinas de teatro na escola, tenho percebido o interesse dos alunos pelas artes cênicas.
Jogos, músicas, textos e talentos. No começo, eram algumas dinâmicas na oficina de arte. Depois veio a primeira turma, da 5ª à 8ª série. Começava a exploração do universo teatral e um envolvimento maior nas apresentações do calendário escolar (Dia dos Pais, Dia das Mães e Natal).
Aos poucos, o grupo foi crescendo em quantidade e melhorando suas performances. Então, veio a turma de Alfa à 4ª série. Apesar da pouca idade, eles demonstraram uma atenção e interesse ímpares.
Nas oficinas, ou aulas, como quiseram chamar, os jogos teatrais vão revelando os talentos dos atores mirins. Mais do que isso, a evolução de cada um mostrou-se evidente nas atuações que foram experimentando.
As pequenas apresentações (sketchs) são a concretização do trabalho desenvolvido. Mas não é apenas isso. Abre-se uma visão do que eles realmente são capazes de realizar e dos desafios pelos quais podem se superar.
A Nossa Escola trouxe a possibilidade de um maior crescimento individual quando optou por esse trabalho com os alunos.

O teatro faz parte de mim, é uma parte do meu corpo, da minha alma e do meu espírito.
Eu não sei viver sem as aulas de teatro.
Tio Luciano, você é o melhor professor que eu já tive na minha vida.
Marília (1ª série)
Tio Luciano, eu gosto do teatro porque é você o professor. Quando eu crescer, eu vou ser atriz, porque eu gosto muito de fazer teatro e vou fazer muitas peças.
Luísa (3ª série)